Exercícios sobre o livro Urupês (com gabarito)

Exercício 1: (UFMS 2010)

Com relação a Urupês, de Monteiro Lobato, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).


Exercício 2: (UFPR 2010)

A respeito do livro Urupês (1918), de Monteiro Lobato, é correto afirmar:


Gabarito

Questão 1: 1, 4
As proposições verdadeiras com relação ao livro Urupês, de Monteiro Lobato, são: 1 e 4.
A proposição 2 está incorreta, pois a obra é resultado da revolta do autor contra os sertanejos do Brasil, aos quais ele responsabiliza pelos incêndios constantes no campo. O tempo todo ele faz críticas às circunstâncias socioeconômicas em que vivem as pessoas caipiras.
A proposição 8 está incorreta, pois o autor reproduz a oralidade e o coloquialismo somente do homem rural, retratando pessoas típicas da região.
A proposição 16 está incorreta, pois o Modernismo, estética da qual faz parte o livro Urupês, na verdade veio combater a estética passadista e academizante, e propor uma nova forma de fazer literatura, expressando melhor a linguagem popular e coloquial, e no caso de Monteiro Lobato, a linguagem regional.

Questão 2: D
A afirmativa correta a respeito do livro Urupês, de Monteiro Lobato, é a letra D – “Espaço, personagens e ação estão integrados nos contos e artigos de Urupês: as descrições da natureza muitas vezes estão diretamente relacionadas com a caracterização de personagens ou com o enredo, como nos contos Bocatorta, O Matapau, Bucólica e O Estigma”.
A letra A está incorreta, pois nestes dois contos Jeca Tatu é a principal personagem, e as demais personagens se assemelham a ele, visto que o autor propõe a figura do caboclo como brasileiro idealizado, em substituição ao índio, proposto anteriormente pelo Romantismo.
A letra B está incorreta pois não há esta relação entre Jeca Tatu e as personagens de Reinações de Narizinho. São personagens diferentes.
A letra C está incorreta pois o conto “Os Faroleiros” destoa do restante da obra, pois além de não ser regionalista, é ambientado no litoral.
A letra E está incorreta, pois a obra ressalta o atraso intelectual nas personagens do meio rural, e não a cultura das mesmas.