18 Questões de Vestibular sobre o Romantismo com Gabarito

O Romantismo foi uma das grandes correntes literárias. geralmente, esse conteúdo é ministrado no 2º ano do Ensino Médio. Neste artigo trouxemos 18 Questões de Vestibular sobre o Romantismo com gabarito para os professores aplicarem aos alunos como exercícios de sala de aula, ou como prova, avaliação.

Ressaltamos que os estudantes para o Enem também podem fazer os exercícios como forma de treino para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio e assim entrar na tão desejada Universidade/Faculdade..

Navegue pelas categorias do Site Ensino Médio on line para encontrar outros exercícios concernentes a várias disciplinas e Enem.

O romantismo foi um movimento artístico, político e filosófico surgido nas últimas décadas do século XVIII na Europa que durou por grande parte do século XIX. Caracterizou-se como uma visão de mundo contrária ao racionalismo e ao iluminismo e buscou um nacionalismo que viria a consolidar os estados nacionais na Europa.

Veja também:

Redações Nota Mil do Enem 2016

15 Temas para a Redação do Enem 2017

20 Exercícios Simulado sobre Transgênicos com gabarito

Simulado com 28 exercícios sobre Hormônios Vegetais

Simulado de Sociologia com gabarito

19 Questões de Vestibular sobre o Romantismo com Gabarito
19 Questões de Vestibular sobre o Romantismo com Gabarito

18 Questões de Vestibular sobre o Romantismo com Gabarito

1. (Universidade Federal de Alagoas)

a) Considerando-se o modo pelo qual Gonçalves Dias e José de Alencar retrataram a figura do índio em suas obras, é possível afirmar que estavam sendo fiéis aos valores do Romantismo? Por quê?

_____________________________________________________________________________________

b) Qual a relação que se pode estabelecer entre a valorização do indianismo, em Gonçalves Dias e José de Alencar, e o período histórico em que viveram?

_____________________________________________________________________________________

2. (Universidade federal do Rio de Janeiro)

Senhor Deus dos desgraçados!
Dizei-me vós, Senhor Deus!
Se é loucura…se é verdade
Tanto horror perante os céus…
Ó mar! Por que não apagas
Co’a esponja de tuas vagas
Do teu manto este borrão?
Astros! Noite! Tempestades!
Rolai das imensidades!
Varrei os mares tufão!

(Castro Alves. “Navio negreiro”. In: – Obra completa. Rio de Janeiro, Aguilar, 1960: p.281.)

Qual a geração romântica a que pertence o poema e que traço estilístico-formal é dominante na estrofe acima?

_____________________________________________________________________________________

3. (Pontifícia Universidade Católica do rio Grande do Sul)

Não faças versos sobre acontecimentos.
Não há criação nem morte perante a poesia.
Diante dela, a vida é um sol estático,
não aquece nem ilumina.

Uma das constantes na obra poética de Carlos Drummond de Andrade, como se verifica nos versos transcritos, é:

a) louvação do homem social
b) o negativismo destrutivo
c) a violação e desintegração da palavra
d) o questionamento da própria poesia.
e) o pessimismo lírico.

4. (Universidade Federal de Uberlândia)

“Não faças versos sobre acontecimentos.
Não há criação nem morte perante a poesia.
Diante dela, a vida é um sol estático,
não aquece nem ilumina.
As afinidades, os aniversários, os incidentes pessoais
não contam.
Não faças poesia com o corpo, esse excelente, completo e confortável corpo, tão infenso à efusão lírica”.

(“Procura da Poesia”, de Carlos Drummond de Andrade)

O fragmento do poema de Carlos Drummond de Andrade expressa uma proposta de criação poética que difere da proposta poética romântica. Redija sua resposta, apontando a diferença entre o que está expresso no fragmento acima e o projeto romântico.

_____________________________________________________________________________________

5. (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul)
O sentimentalismo amoroso, que surgiu como __________nacionalismo indianista, permite a associação com a __________ geração do Romantismo brasileiro, a que se vinculam poetas como _________ e Fagundes Varela.

a) afirmação do – segunda – Álvares de Azevedo
b) negação do – terceira – Castro Alves
c) rejeição ao – segunda – Casimiro de Abreu
d) antecipação do – terceira – Castro Alves
e) confirmação do – primeira – Álvares de Azevedo

6. (Unifesp) Tema bastante recorrente nas literaturas românticas portuguesa e brasileira, o amor impossível aparece em personagens que encarnam o modelo romântico, cujas características são:

a) o sentimentalismo e a idealização do amor.
b) os jogos de interesses e a racionalidade.
c) o subjetivismo e o nacionalismo.
d) o egocentrismo e o amor subordinado a interesses sociais.
e) a introspecção psicológica e a idealização da mulher.

7. (Unifesp)
Canção do Exílio
(…)
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.
Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.
(Antônio Gonçalves Dias, “Primeiros Cantos”)

Gonçalves Dias consolidou o romantismo no Brasil. Sua “‘Canção do exílio” pode ser considerada tipicamente romântica porque a) apóia-se nos cânones formais da poesia clássica greco-romana; emprega figuras de ornamento, até com certo exagero; evidencia a musicalidade do verso pelo uso de aliterações.

b) exalta terra natal; é nostálgica e saudosista; o tema é tratado de modo sentimental, emotivo.
c) utiliza-se do verso livre, como ideal de liberdade criativa; sua linguagem é hermética, erudita; glorifica o canto dos pássaros e a vida selvagem.
d) poesia e música se confundem, como artifício simbólico; a natureza e o tema bucólico são tratados com objetividade; usa com parcimônia as formas pronominais de primeira pessoa.
e) refere-se à vida com descrença e tristeza; expõe o tema na ordem sucessiva, cronológica; utiliza-se do exílio como o meio adequado de referir-se à evasão da realidade.

8. (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo)
Verdes mares bravios de minha terra natal, onde canta a jandaia nas frondes da carnaúba;
Verdes mares que brilhais como líquida esmeralda aos raios do sol nascente, perlongando as alvas praias ensombradas de coqueiros;
Serenai, verdes mares, e alisai docemente a vaga impetuosa para que o barco aventureiro manso resvale à flor das águas.

Esse trecho é o início do romance “Iracema”, de José de Alencar. Dele, como um todo, e possível afirmar que:

a) Iracema e uma lenda criada por Alencar para explicar poeticamente as origens das raças indígenas da América.
b) as personagens Iracema, Martim e Moacir participam da luta fratricida entre os Tabajaras e os Pitiguaras.
c) o romance, elaborado com recursos de linguagem figurada, é considerado o exemplar mais perfeito da prosa poética na ficção romântica brasileira.
d) o nome da personagem-título é anagrama de América e essa relação caracteriza a obra como um romance histórico.
e) a palavra Iracema é o resultado da aglutinação de duas outras da língua guarani e significa “lábios de fel”.

9. (Fuvest) Tomadas em conjunto, as obras de Gonçalves Dias, Álvares de Azevedo e Castro Alves demonstram que, no Brasil, a poesia romântica:

a) pouco deveu às literaturas estrangeiras, consolidando de forma homogênea a inclinação sentimental e o anseio nacionalista dos escritores da época.
b) repercutiu, com efeitos locais, diferentes valores e tonalidades da literatura européia: a dignidade do homem natural, a exacerbação das paixões e a crença em lutas libertárias.
c) constituiu um painel de estilos diversificados, cada um dos poetas criando livremente sua linguagem, mas preocupados todos com a afirmação dos ideais abolicionistas e republicanos.
d) refletiu as tendências ao intimismo e à morbidez de alguns poetas europeus, evitando ocupar-se com temas sociais e históricos, tidos como prosaicos.
e) cultuou sobretudo o satanismo, inspirado no poeta inglês Byron, e a memória nostálgica das civilizações da Antigüidade clássica, representadas por suas ruínas.

10. (Pucrs) O projeto nacionalista da literatura brasileira realiza-se, na prosa, pela ________ nação, principalmente na obra de ________, que se constituiu como precursor da possibilidade de ________ da brasilidade.

a) idealização da José de Alencar expressão
b) exaltação da Aluísio Azevedo fundação
c) crítica à Monteiro Lobato criação
d) referência à Joaquim Manuel tradução de Macedo
e) sátira à Lima Barreto simulação

11. (Ufpe) Sobre o romance romântico no Brasil, analise as proposições abaixo:

(   ) Não houve influência dos autores europeus na criação de uma narrativa romântica no Brasil, pois, além dos temas e das linguagens diferirem muito, as obras estrangeiras não eram divulgadas, nem traduzidas no Brasil.
(   ) Em 1844, surgiu o primeiro romance brasileiro, A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo, o qual ultrapassou a condição das narrativas europeias, pela temática e pela adaptação a cenários brasileiros.
(   ) Inserido na linha nacionalista do Romantismo, José de Alencar lança, em 1856, seu primeiro romance, Cinco Minutos. Daí em diante, procurou construir uma obra romanesca que abrangesse todo o Brasil. Escreveu romances históricos, regionalistas e indianistas – a maioria situados na era colonial – e romances urbanos, em torno do cotidiano do Rio de Janeiro, entre os quais se situa Iracema (1865).
(    ) Manuel Antonio de Almeida, autor de Memórias de um Sargento de Milícias (1853), seguiu a tradição sentimental do tipo de narrativa praticado na época. Nos seus textos, adota a estética romântica na proposta de uma narrativa de costumes.
(    ) Entre os objetivos do movimento romântico no Brasil, estava o de revelar o país, pela criação de uma literatura de expressão nacional e pela valorização de uma língua brasileira.

12. (Universidade Federal de Pernambuco) Sobre o surgimento e as características do Romantismo, analise as seguintes afirmações:

(  ) O movimento coincide com a democratização da arte, gerada pelas mudanças sociais, políticas e econômicas do fim do século XVIII. Tornou-se a expressão artística de uma nova sociedade burguesa, em oposição à arte neoclássica da aristocracia.
(  ) O Romantismo literário absorveu tendências do liberalismo, que propiciou a liberdade nas artes e, conseqüentemente, a expressão fora dos rígidos modelos precedentes.
(    ) Foi inspirado pelas obras do francês Rousseau e pelo movimento alemão Sturm und Drag, que valorizava o folclórico, o popular e o nacional, em oposição ao universalismo clássico.
(   ) Consolidou-se junto ao público europeu, em fins do século XVIII, com o romance Werther, de Goethe. O sucesso do romance, que culmina com o suicídio, por amor, do jovem personagem, desencadeia uma onda de suicídios na Europa.
(   ) Apenas nos primeiros anos do século XIX é que o Romantismo se sedimenta na Europa, quando sua estética é introduzida no Brasil, coincidindo, portanto, com a nossa independência política.

13. (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro) Relacione aos fragmentos de texto abaixo as seguintes características da poesia ultra-romântica no Brasil.

(1) temática da morte.
(2) angústia existencial.
(3) tédio da vida.
(4) melancolia.
(5) busca de um princípio universal.

(   ) Oh! Vem depressa, minha vida foge…
Sou como o lírio que já murcho cai! (Casimiro de Abreu)
(   ) Como varia o vento, o céu – o dia,
Como estrelas e estrelas e nuvens e mulheres,
Pela regra geral de todos os seres,
Minha lira também seus tons varia, (Álvares de Azevedo)
(   ) Eis o que sou! – A dúvida encarnada,
Que perenal vacila (Junqueira Freire)
(   ) Escrevi porque a alma tinha cheia
Numa insônia que o spleen entristecia
De vibrações convulsas de ironia! (Álvares de Azevedo)
(   ) Adeus meus sonhos, eu pranteio e morro!
Não levo da existência uma saudade! (Álvares de Azevedo)

A correspondência correta entre os fragmentos e suas características ultrarromânticas resulta na seguinte seqüência:

a) (4) (5) (2) (1) (3).
b) (4) (5) (3) (2) (1).
c) (5) (4) (1) (2) (3).
d) (4) (5) (2) (3) (1).
e) (1) (4) (5) (3) (2).

14. (Universidade Federal do rio Grande do Sul) Leia o texto abaixo:
………… é um tema dominante na poesia ……………. de cunho romântico no Brasil; nela, a mulher é freqüentemente …………….. sob o olhar apaixonado do poeta, que usa ……………. como termo de comparação capaz de expressar a intensidade dos seus sentimentos.

Assinale a alternativa que preenche adequadamente as lacunas desse texto.
a) O amor – nacionalista – homenageada – a religião
b) A pátria – sentimental – martirizada – o mito
c) O amor – intimista – idealizada – a natureza
d) A infância – histórica – divinizada – a Idade Média
e) A morte – nacionalista – humilhada – a música

15. (Ufrs) Álvares de Azevedo é um autor do período …….. que escreveu ………, como “Lira dos Vinte Anos”, “Noite na Taverna” e “Macário”. Não obstante a sua vida muito breve de apenas 21 anos, destaca-se por uma intensa inquietação literária e por expressar na sua obra a leitura …….. . Os seus escritos, com traços de ………, têm afinidades com as tendências do “mal do século”.

a) realista – poesia, teatro e outras obras – da tradição cristã – idealismo
b) parnasiano – poesia, romances e outras obras – da tradição científica – regionalismo
c) romântico – poesia, contos e outras obras – de escritores e poetas europeus – melancolia
d) romântico – romances, teatro e outras obras – dos ideais românticos – nacionalismo
e) parnasiano – poesia, romances e outras obras – dos ideais republicanos – pieguice

16. (Universidade Federal de Santa Maria) Considerando o Romantismo brasileiro, assinale verdadeira (V) ou falsa (F) em cada afirmativa a seguir.
(    ) Suas propostas temáticas contemplam questões relativas à identidade brasileira.
(  ) “Suspiros poéticos e Saudades”, de Gonçalves de Magalhães, é a obra que assinala o final do movimento.
(   ) A vertente indianista compôs-se de traços passadistas, buscando ressaltar tanto o nativo quanto o europeu.
A seqüência correta é:

a) F – V – F. b) V – F – F. c) F – F – V.
d) V – F – V. e) V – V – V.

17. (Universidade Federal de Santa Maria) Relacione as duas colunas:
1. Álvares de Azevedo
2. Castro Alves
3. Casimiro de Abreu

(   ) Sua poesia apresenta angústia, aspiração à morte e, ao mesmo tempo, temor dela.
(   ) É autor de versos simples, ternos e passivamente melancólicos.
(   ) Seus versos, de ânimo arrebatado e impulsivo, projetam experiências amorosas intensamente vividas.
(   ) É autor de poemas consagrados, como “Se eu morresse amanhã”.
(   ) Representa uma tendência do Romantismo brasileiro caracterizada pela preocupação social.

A seqüência correta é:
a) 3 – 2 – 2 – 3 – 1.
b) 1 – 3 – 2 – 1 – 2.
c) 1 – 2 – 3 – 1 – 1.
d) 2 – 1 – 1 – 3 – 2.
e) 3 – 1 – 2 – 2 – 3.

18. (Universidade Federal de Viçosa) O gênero “romance” surgiu no Brasil durante o Romantismo e moldou-se segundo os gostos e preferências da burguesia em ascensão. Com uma temática diversificada, logo tornou-se o tipo de leitura mais acessível a essa nova classe social.

Dentre as afirmativas seguintes, assinale aquela que NÃO corresponde às tendências do “romance romântico”:

a) As obras românticas conhecidas como romance de “folhetins” caracterizaram-se pelo tom “água-com-açúcar”, pela presença de elementos pitorescos e pela superficialidade de seus conflitos.
b) O romance romântico identificado como “histórico” retratou os fatos políticos brasileiros da época, e também as correntes materialistas daquela segunda metade do século XIX.
c) As narrativas ambientadas na cidade foram rotuladas como “romances urbanos”, sendo ainda conhecidas como obras de “perfis de mulher”, por privilegiar as personagens femininas e seus pequenos conflitos psicológicos.
d) O romance “indianista” enfatizou nossa “cor local” ao retratar as lendas, os costumes e a linguagem do índio brasileiro, acentuando ainda mais o cunho nacionalista do Romantismo.
e) A narrativa romântica de caráter “regionalista” tematizou, de forma idealizada, a vida e os costumes do “brasileiro” do interior.

GABARITO das 18 Questões de Vestibular sobre o Romantismo 

1. a) Ambos retrataram a figura do índio, de modo idealizado, e exaltaram a pátria. A natureza, em suas obras, ganha valor em suas descrições. Os autores tinham um conhecimento da tradição, dos costumes e da língua dos nativos, o que contribuiu às cenas descritas.

b) Pode-se afirmar que Gonçalves Dias – participante da primeira geração do Romantismo no Brasil – atinge o máximo de sua arte no Indianismo. Seus versos desenham um índio portador de sentimentos e de atitudes artificiais, extremamente europeizado. Ainda assim, o índio de Gonçalves Dias está mais próximo da realidade que o índio de José de Alencar. Este escreveu três obras: “O Guarani”, “Iracema” e “Ubirajara”, e torna o índio um símbolo nacional, o herói da pátria e o elemento formador de um Novo Mundo. Embora idealizado, Alencar faz questão de firmar o índio como representante de nosso passado histórico.

2. Última geração, preocupada com o social; o uso de exclamações para expressar indignação; grandiloqüência.

3.Como alternativa correta temos a letra “D”, retratando justamente a terceira fase de labor artístico de Carlos Drummond, fase essa em que passado o medo e a indignação oriundos dos tempos pós-guerra, ele resolveu mostrar sua face oculta. Face essa em que ele se volta para um questionamento metafísico, posicionando-se de forma reflexiva acerca de algumas questões voltadas para a condição humana, tais como a morte, a vida, cujas respostas eram encontradas por meio do próprio fazer poético. Para ele, a palavra representava a matéria-prima para satisfazer os seus reais objetivos, pois era nela que encontrava um campo fecundo para desenvolver “seus experimentos”, digamos assim, enquanto cientista observador das questões humanas

4. No fragmento do poema de Carlos Drummond de Andrade, há uma ideia de que a poesia não deve ser buscada nos temas cotidianos ou sociais, ou seja, a criação poética não pode ser encontrada na subjetividade do eu criador ou na objetividade do real observado, mas deve ser o resultado de um esforço de elaboração que passa pelo trabalho estético com as palavras. Com isso, vemos que a proposta de criação de Drummond difere daquela apresentada pelos românticos em geral, pois estes defendiam a poesia como sinônimo de “expressão
da subjetividade”.

5. C]
6. [A]
7. [B]
8. [C]
9. [B]
10. [A]
11. F V V F V
12. V V V V V
13. [D]
14. [C]
15. [C]
16. [D]
17. [B]
18. [B]

You May Also Like